domingo, 9 de agosto de 2015


O retrato da saudade.

Passeei pelo mundo das quimeras,
fotografando tudo, e de cada foto via mais,
muito mais, eu via o mundo.

E a cada click suave as borboletas voavam,
e mais alto voava minha imaginação...
Cada pose se tornavam quadros raros,
do valor incalculável da paixão.


E com excitação e carinho, eu planejei não mais sozinho
caminhar por entre tantos caminhos onde me remetiam
como sempre: meu coração.



Mas amar nem sempre é simples, e mais complicado quando vem em tufão, quando te tira os pés da terra, move sua vaidade em vão.

E pouco a pouco a semente vai sendo germinada no chão,e ao findar toda esperança,
o semeador de ilusões se cansa, e deixa pra traz
só destruição.


Mas a vida modifica as estações e vai-se o solzinho, vem então todo frio.
Mas pelo caminho, quando se caminha sozinho
a sempre uma voz e algum carinho,
que te devolve o brilho ou a ilusão,
e a vida fica mais leve, mais tranquila,
quando se aceita que tudo só termina
quando realmente nunca começou.


Então ficam apenas os retratos,
fotos que falam, que nos sorriem,
que nos transportam ao que de belo ficou.


E se eu pudesse então retratar com detalhes,
o que é a saudade então?
Eu diria a todos:
A fotografia de luz,

que fiz dentro do coração...

Kcris Ramos

Leiam também.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS